fbpx
Tireoide

Guideline europeu sobre nódulos tireoidianos: quando indicar cirurgia ou técnicas minimamente invasivas?

tireoide
Escrito por Ícaro Sampaio

No mês de agosto de 2023 foi publicado o novo guideline da European Thyroid Association sobre manejo dos nódulos tireoidianos. Dentre as recomendações do documento, estão orientações a respeito do uso de técnicas minimamente invasivas em nódulos benignos, além das indicações de cirurgia. 

As técnicas minimamente invasivas (TMI) incluem ablação com etanol, baseada na injeção direta de etanol em uma cavidade cística, e técnicas de ablação térmica, que utilizam diversas fontes de energia: laser, radiofrequência, microondas ou ultrassom focalizado de alta intensidade. As TMI resultam numa diminuição relevante e duradoura do volume do nódulo (57-77% aos 5 anos) que é acompanhada pela melhoria dos sintomas locais e da qualidade de vida relacionada com a doença.

A ablação com etanol é preferida como um tratamento eficaz, seguro e barato para nódulos tireoidianos sintomáticos císticos (ou predominantemente císticos), enquanto os procedimentos de ablação térmica (AT),  são indicados para lesões sólidas benignas da tireoide com sintomas locais. Os tratamentos de AT devem ter como objetivo um equilíbrio entre a destruição quase completa do nódulo, para evitar o novo crescimento tardio, e a preservação das áreas de risco, para minimizar o risco de complicações. Atualmente, uma grande limitação da utilização de procedimentos de AT é a sua disponibilidade limitada e a falta de dados a longo prazo.

Quanto à abordagem cirúrgica, o guideline considera apropriado nos seguintes cenários:

  • Doença nodular tireoidiana sintomática, como opção alternativa às técnicas minimamente invasivas;
  • Nódulos que foram classificados como benignos na citologia e/ou de baixo risco na US (ou seja, EU-TIRADS 2 ou 3) e tornam-se sintomáticos ao longo do tempo;
  • Nódulos com citologia indeterminada (classes Bethesda III e IV) que não são adequados para vigilância ativa (ou seja, tamanho grande, alta suspeita de malignidade na US, sintomatologia);
  • Nódulos com citologia Bethesda classe V e VI.

Para nódulos de potencial maligno incerto (citologia classe III-V de Bethesda), a cirurgia permite um diagnóstico definitivo. Os resultados dos testes moleculares (se disponíveis) devem ser considerados antes da operação. Para doenças limitadas a um lobo, recomenda-se lobectomia/hemitireoidectomia.

 



Banner

Banner

Banner

Banner

Sobre o autor

Ícaro Sampaio

Graduação em medicina pela Universidade Federal do Vale do São Francisco
Residência em Clínica Médica pelo Hospital Regional de Juazeiro - BA
Residência em Endocrinologia e Metabologia pelo Hospital das Clínicas da UFPE
Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Editor Endocrinopapers
Médico Endocrinologista no Hospital Esperança Recife e Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: