fbpx
Manchetes

Implantes contendo ocitocina: infelizmente, precisamos falar sobre eles

Escrito por Ícaro Sampaio

O hormônio ocitocina é sintetizado pelos neurônios magnocelulares do hipotálamo, sendo liberado pela neuro-hipófise na circulação periférica. A liberação da ocitocina é estimulada pela sucção durante a lactação e pela distensão do colo do útero durante o parto. A mama em fase de lactação e o útero durante a gravidez constituem os dois principais órgãos-alvo dos efeitos fisiológicos da ocitocina.

Na mama durante a lactação, a ocitocina estimula a ejeção do leite ao produzir contração das células mioepiteliais que revestem os alvéolos e os ductos da glândula mamária. No útero grávido, a ocitocina produz contrações rítmicas do músculo liso para ajudar a induzir o trabalho de parto e promover a regressão do útero após o parto. O papel da ocitocina no sexo masculino ainda não foi esclarecido, embora estudos recentes tenham sugerido que ela possa participar na ejaculação. Alguns estudos descrevem também sua ação no cérebro, com possível efeito no comportamento social, empatia e ansiedade.

Nos últimos dias, foi amplamente divulgado na mídia o caso de uma paciente que apresentou hiponatremia e edema cerebral grave após o implante de um dispositivo contendo ocitocina. Infelizmente, temos notícias de outros pacientes que também fizeram uso de implantes contendo tal hormônio, sob a justificativa de melhorar a libido e promover sensação de bem estar.  Não há, contudo, qualquer evidência de que a reposição de ocitocina possa ter algum benefício nesses casos. Quanto aos riscos, por possuir alguma ação anti-diurética, quando utilizada em altas doses pode causar retenção hídrica e hiponatremia.

Nesta semana, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia emitiu uma nota oficial sobre o tema. A SBEM destaca que além da ausência de dados mostrando benefícios da reposição de ocitocina, não existem dados de segurança sobre seu uso a longo prazo. As únicas indicações aprovadas para ocitocina são o auxílio ou indução do trabalho de parto (nestes casos, a droga é administrada de forma intravenosa) ou na indução da lactação (administrada como spray nasal).

Referências:

NOTA OFICIAL: Implantes hormonais contendo ocitocina. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – SBEM. 2023

Molina, Patricia E. Fisiologia endócrina 5. ed. – >Porto Alegre: AMGH, 2021.



Banner

Banner

Banner

Banner

Sobre o autor

Ícaro Sampaio

Graduação em medicina pela Universidade Federal do Vale do São Francisco
Residência em Clínica Médica pelo Hospital Regional de Juazeiro - BA
Residência em Endocrinologia e Metabologia pelo Hospital das Clínicas da UFPE
Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Editor Endocrinopapers
Médico Endocrinologista no Hospital Esperança Recife e Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: