fbpx
Manchetes

Segundo e terceiro dias do Congresso da ADA 2023: quais foram os destaques?

Escrito por André

No segundo dia do Congresso da ADA 2023, que ocorre na cidade de San Diego, tivemos a divulgação de dois importantes estudos com a insulina Icodec de aplicação semanal e, no terceiro dia, a apresentação dos resultados de dois estudos com a semaglutida oral. Os principais highlights podem ser vistos abaixo:

  • ONWARDS 1: o estudo comparou a insulina de aplicação semanal icodec com a insulina glargina U100 em adultos com diabetes mellitus tipo 2 (DM2). Com 52 semanas de acompanhamento, a redução da HbA1c foi maior com icodec do que com a glargina. Embora a diferença entre ambas tenha sido pequena, foi estatisticamente significativa, comprovando a superioridade da icodec no controle glicêmico.

 

  • ONWARDS 3: neste estudo, a comparação foi da icodec com a degludeca, também em adultos com DM2. Com 26 semanas, o grupo em uso da icodec obteve uma maior redução da HbA1c do que o grupo em uso de degludeca, confirmando a superioridade da insulina de aplicação semanal.

 

  • OASIS 1: este estudo avaliou a eficácia e a segurança da semaglutida oral na dose de 50mg/dia associada à mudança de estilo de vida versus placebo em 667 adultos com sobrepeso ou obesidade, mas sem DM2. Na semana 68, a droga conseguiu atingir uma perda de até 15,1% do peso inicial. A proporção de participantes que conseguiram perder 5% ou mais de peso foi de 85% (34% perderam 20% ou mais). A dose de 50mg/dia se mostrou, portanto, efetiva no tratamento da obesidade, com um perfil de segurança consistente com a classe de análogos de GLP-1.

 

  • PIONEER PLUS: também foram divulgados no terceiro dia de congresso, os resultados deste estudo que comparou a eficácia, segurança e tolerabilidade da semaglutida oral nas doses de 25 e 50mg/dia com a dose atualmente aprovada de 14mg/dia em 1606 adultos com DM2. A HbA1c média basal era de 9% e o IMC médio de 34 Kg/m2. As doses de 25 e 50mg obtiveram, na semana 52, uma redução na HbA1c de até -1,8 e de -2,0, respectivamente, versus -1,5 no grupo que usou a dose de 14mg (com uma diferença significativa). Uma proporção maior de pacientes conseguiu atingir uma meta de HbA1c < 7,0 nos grupos com doses mais altas. Também houve uma maior perda de peso e melhora de fatores de risco cardiometabólicos com as doses de 25 e 50mg. Estas doses mais altas também foram bem toleradas.


Banner

Banner

Banner

Sobre o autor

André

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: