fbpx
Manchetes

Tudo o que você precisa saber sobre a retatrutida 

Tirzepatida
Escrito por Ícaro Sampaio

A retatrutida é um agonista triplo dos receptores do peptídeo insulinotrópico dependente de glicose (GIP), peptídeo semelhante ao glucagon 1 (GLP-1) e do glucagon GCG. Em comparação com os ligantes do receptor endógeno, a retatrutida é menos potente nos receptores humanos de GCG e GLP-1 e é mais potente no receptor do GIP.  A farmacocinética da droga é considerada proporcional à dose, apresentando uma meia-vida de aproximadamente 6 dias, o que permite administração semanal.

No último congresso da American Diabetes Association, que ocorreu no mês de junho, a retatrutida teve grande destaque com resultados promissores para tratamento da obesidade, diabetes mellitus tipo 2 e esteatose hepática. No entanto, em novembro de 2022 foram publicados no The Lancet um estudo fase 1b envolvendo participantes com diabetes tipo 2, o tratamento com retatrutida resultou numa redução média de peso, ajustada pelo placebo,  de 8,96 kg (aproximadamente 10%) no grupo de dose mais alta (12 mg) após 12 semanas.

Recentemente foi publicado no NEJM um ensaio clínico fase 2, duplo-cego, randomizado, controlado por placebo, que incluiu participantes portadores de obesidade ou sobrepeso (associado a uma comorbidade). Os participantes foram randomizados para uso da retatrutida nas doses de 1, 4,  e 12 mg , ou placebo. O desfecho primário foi a alteração percentual no peso corporal desde o início até 24 semanas. Os desfechos secundários incluíram a mudança percentual no peso corporal desde o início até 48 semanas e uma redução de peso de 5% ou mais, 10% ou mais, ou 15% ou mais.

A variação percentual média de peso corporal em 24 semanas nos grupos de retatrutida foi de -17,5% no grupo de 12 mg, em comparação com -1,6% no grupo de placebo. Após 48 semanas, a variação -24,2% no grupo de 12 mg, em comparação com -2,1% no grupo de placebo. Nesse período de 48 semanas, houve uma redução de peso de 5% ou mais, 10% ou mais e 15% ou mais em 100%, 93% e 83% daqueles que receberam 12 mg.

Outro estudo fase 2, também publicado há poucos meses, mas no The Lancet avaliou os efeitos da retatrutida em participantes portadores de diabetes mellitus tipo 2. Nestes indivíduos, o novo agente promoveu uma redução da HbA1c de – 2,16% após 36 semanas, um excelente resultado, sendo superior ao placebo e à dulaglutida.

Para finalizar, é necessário destacar os potenciais benefícios da retatrutida para tratamento da doença hepática gordurosa metabólica. Uma análise de subgrupo pré-especificada do estudo da obesidade mostrou que em doses semanais de 8 mg e 12 mg, 24 semanas de retatrutida levaram a uma resolução completa do excesso de gordura hepática em cerca de 80% das pessoas. Esse número aumentou para cerca de 90% das pessoas que receberam essas doses após 48 semanas



Banner

Banner

Banner

Banner

Sobre o autor

Ícaro Sampaio

Graduação em medicina pela Universidade Federal do Vale do São Francisco
Residência em Clínica Médica pelo Hospital Regional de Juazeiro - BA
Residência em Endocrinologia e Metabologia pelo Hospital das Clínicas da UFPE
Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Editor Endocrinopapers
Médico Endocrinologista no Hospital Esperança Recife e Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: